10
Set
09

Escolhendo o equipamento

Guará Vermelho (Eudocimus ruber)

Escrevi este texto para um colega que me perguntou sobre como escolher uma câmera para fotografar pássaros. Mas resolvi postar aqui pois pode ser útil para outras pessoas.

Bom, vamos ao que realmente interessa: Pensei na sua pergunta e resolvi listar aqui pra você o equipamento que considero “ideal”. Claro que isso será apenas uma referência, pois o ideal nem sempre é o viável em termos de custo x benefício. Mas acho interessante que você saiba o que existe de melhor para ter um parâmetro de referência.

Vamos começar pelas marcas: O ideal é pensar em termos de Canon ou Nikon, marcas tradicionais com uma ampla variedade de modelos e linhas completíssimas de lentes e acessórios. Vou citar os modelos da Nikon, pois não domino muito bem a nomenclatura da Canon. Mas pra tudo o que eu mencionar da Nikon existe um correspondente da Canon com as mesmas características. Um ou outro detalhe pode oferecer vantagens pontuais para uma marca ou para outra, mas no geral os equipamentos de ambas são similares.

A segunda questão: Filme ou digital? O preço de boas câmeras de filme como a F-100 ou a F-4 despencou com a entrada das digitais no mercado. Pelo preço de uma digital capenga você compra uma excelente câmera analógica! Claro que as digitais oferecem maior comodidade, mas ao contrário da crença geral, fotografar com filmes é mais barato, pois exige um investimento inicial menor e os custos com filmes e revelações são diluídos ao longo do tempo.

Se decidir pelas digitais existem dois formatos de sensor disponíveis: As com sensor DX tem área de captura menor e são mais baratas (por exemplo a D-300) enquanto que os sensores FX tem tamanho similar aos filmes de 35mm (por exemplo a nova D-700). Sensores menores causam um efeito de corte nas imagens e isso muda a distância focal das lentes utilizadas. Nas câmeras da Nikon é necessário multiplicar a distância focal por 1,5 (e na Canon por 1,6). Por exemplo: Uma tele de 300mm na verdade se comporta como uma tele de 450mm nas câmeras com sensor DX.

Lentes:

Antes de mais nada não custa nada lembrar: É mais eficiente utilizar uma boa lente numa câmera mais simples do que uma lente ruim numa super câmera. Moral da história: Fuja das lentes de Kit! Além do mais uma boa lente irá te acompanhar por muitos e muitos anos, enquanto que as câmeras serão trocadas com mais freqüência.

A lente “ideal” para fotografar pássaros é a 300mm f2.8. Além de serem melhores, lentes claras ajudam barbaridade a trabalhar em ambientes de baixa luminosidade como o interior de matas. Além disso ela permite a utilização de um tele-converter com uma perda de luminosidade aceitável. Com um converter de 2X a lente passa a ser uma 600mm f5,6. Outra opção de lente interessante é a zoom 80-200mm f2.8 que embora menos potente é mais versátil e mais prática pra se trabalhar na mão.

Mas como nem só de super teles vive a fotografia você vai precisar de uma lente para “uso geral” Eu pessoalmente gosto muito da 24-80mm f2.8, mas existem várias opções dentro dessa faixa. Tenha em mente que se você utiliza sensores DX o rendimento de suas lentes grande-angulares vai ser comprometido.

Em relação à marca de lentes cabe aqui uma ressalva: Além das originais Canon e Nikon, a Sigma também produz equipamentos de boa qualidade. Mas se a diferença de preço não for muito grande vale a pena investir nas lentes originais.

Outros acessórios interessantes:

– Tripé! Ele pode fazer maravilhas por suas fotos! Os melhores são os italianos da marca Manfrotto.

– Capa de látex da Outex. Protege o equipamento da chuva, lama, umidade e serve até mesmo para pequenos mergulhos de até 6 metros de profundidade. Além de proteger o equipamento permite que você encare situações aonde normalmente não iria se meter para fotografar.

– Disparador por infra-vermelho ML-3: Além de servir como controle remoto substituindo o cabo de disparo o ML-3 é muito interessante para montar “armadilhas fotográficas” pois cria a possibilidade de disparar a câmera através de um sensor de movimentos. Dessa forma é possível monitorar trilhas, tocas e ninhos sem estar presente. Serve em qualquer câmera Nikon com conector de 10 pinos.

Sete Cores - Morretes - Paraná


12 Responses to “Escolhendo o equipamento”


  1. 1 Valentina
    10/11/2009 às 00:10

    Fantástico… Alguns termos são, por vezes, difíceis de assimilar, mas no geral… já consegui ter uma idéia do que preciso.

    Porque vc acha a Nikkon melhor, tem relação com a facilidade de manusear ou linguagem menos complicada?

    Abraço…

  2. 10/11/2009 às 11:10

    Oi Valentina, tudo bem? Quando eu comecei a trabalhar com fotografia realmente a Nikon era a marca preferida por quase todos os profissionais, especialmente no fotojornalismo. Mas com o passar do tempo a Canon foi melhorando consideravelmente enquanto que a Nikon ficou meio “estacionada”. Hoje as duas marcas estão no mesmo patamar, com algumas vantagens pontuais ora para uma, ora para outra. A escolha é, portanto, uma questão de gosto pessoal e qualquer uma das duas vai te atender plenamente.

    Quais termos ficaram confusos para você? Me diga que eu tentarei ser mais objetivo.

    Abraços!

  3. 3 Vinícius
    10/02/2010 às 20:52

    Cara tinha uma dúvida sobre sensores e em relação as lentes..
    como você mesmo citou

    “Por exemplo: Uma tele de 300mm na verdade se comporta como uma tele de 450mm nas câmeras com sensor DX.”

    Por que isso acontece?

    teria como você fazer um tópico falando sobre isso?

    gostei da explicação acima, me tiro umas dúvidas..

    abrs!!!

  4. 18/02/2010 às 10:22

    Olá Vinicius! Vamos fazer uma analogia: Pense em uma imagem sendo projetada sobre uma tela, com o projetor posicionado para que a imagem cubra toda a área da tela. O que acontece se substituirmos a nossa tela por uma tela menor, sem mexer em nosso projetor? A tela menor só irá conter o centro da imagem e as bordas vão “sobrar” não é mesmo?

    É isso que acontece no interior de uma câmera: A distância entre o projetor e a tela (ou entre a lente e o CCD) é o que chamamos de distância focal: Quanto maior essa distância, maior será a imagem formada sobre a tela.

    Mas se substituímos um CCD grande por uma menor mantendo a mesma lente (ou seja: mantendo a mesma distância focal) teremos um recorte na imagem que será semelhante a imagem que seria produzida no CCD maior por uma distância focal maior.

    Assim a área de cobertura de uma tele de 300mm em um sensor DX (pequeno) tem o mesmo fator de ampliação produzido por uma tele de 450mm sobre um sensor maior FX (que possui o mesmo tamanho dos filmes fotográficos).

    Qualquer dúvida é só chamar!

  5. 5 Vinícius
    27/02/2010 às 18:57

    Olá Fernando você tirou minhas dúvidas, muito obrigado!!!
    lendo sua explicação, e também fiz a compra do livro “O novo manual da fotografia de John Hedgecoe”

    claroque semre surge dúvidas como termos técnicos..

    ms gostaria que você me esclaresse uma coisa já como o nome é “escolha do equipamento” quero tirar uma dúvida com você…

    estopu querendo adquirir uma nikon D500, mas tenho pensado ultimamente em uma superzoom…

    por que tenho 2.500 para investir inicialmente na câmera, na sua opnião valeria a pena adquirir a câmera com uma lente básica inicialmente para depois ir adquirindo as lentes com o tempo?

    Gostaria da sua opnião…

    Desde já obrigado!!!

  6. 6 izabela Monjardim
    11/09/2010 às 09:58

    Ola Professor !!

    Precisamos tanto que vc venha dar um curso aqui na nossa cidade esquecida !!

    Nao sei mais o que faço p/ convencer a Dahlen ….poxaaaa !!

    Voce é muito feraaaa mesmo !!! Talento e sensibilidade !!!

    Qualidades imprecindíveis para um Fotografo – Professor !!

    Passe-nos seu conhecimento !!! vc é generosooo !!!

    um grande abraço

    Izabela Monjardim

  7. 7 Antonio
    13/01/2011 às 16:12

    Boa tarde estou precisando de uma lente para Nikon d90 barata para fotografar show geralmente a noite de longa distancia o que voce me indica.

    Obrigado

    • 02/02/2011 às 09:15

      Infelizmente lentes claras e lentes baratas quase sempre são coisas antagônicas… Uma exceção é a 50mm 1.8, que embora não seja uma teleobjetiva, irá se comportar como uma pequena tele de 75mm na D90 por conta do fator de corte (50 x 1,5 = 75) Além disso é uma lente extremamente clara e barata pela forma como é construida.

      Boa sorte!

  8. 9 Cristiane Fernandes
    19/02/2011 às 22:10

    Olá Fernando, td bem? Estou precisando da ajuda de um profissional. Tenho uma Nikon D5000 e queria muito comprar uma lente clara para fotografar shows. Qual vc poderia me indicar? As lentes da Sigma são compativeis?

    Obrigada!

    • 21/02/2011 às 13:36

      As lentes compatíveis com a D5000 são aquelas que possuem motor de foco no corpo como a série G. Uma opção barata de lentes claras são as normais (35mm para cameras DX) ou 50mm (para câmeras full frame) A 50mm irá se comportar como uma pequena tele (75mm) e acredito ser a melhor opção em termos de custo benefício.

      Boa sorte!

  9. 11 Eduardo Efrain
    13/03/2011 às 18:20

    Olá, tenho uma lente Sigma 70-200mm f2.8 e uma máquina D700 Nikon, gostaria de saber se esta lente me serve para fotos de natureza, passaros, bichos etc…gostaria de saber se uma nikon 70-300mm VR ou sem VR é com FX ou DX, se compensa comprar uma dessa ou ficar com a mesma sgima 70-200mm que ja tenho.
    Quero comprar 24-120mm 3.5, esta já é FX, correto, me atenderia bem, para fotos de profundidade e bixos e aves mais próximos a mim?
    Aguardo!!!

  10. 12 Eduardo Efrain
    13/03/2011 às 18:25

    Olá, ou seria melhor comprar uma 24-85mm 2.8 nikon


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Sobre o Autor:

Fotojornalista com trabalhos publicados em alguns dos principais jornais e revistas nacionais, tais como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, O Globo, Istoé, entre outros.

Atualmente dirige a Agência Fotográfica Lunapress e também é docente do SENAC lecionando fotografia na unidade Jundiaí.

Colabora com diversos bancos de imagens internacionais com destaque para a iStockphotos e a Getty Image para os quais fornece principalmente imagens sobre a América Latina.

Fotografou para diversos veículos institucionais e é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de fotografia em “hight-speed” adotada pela Faculdade de Engenharia de Minas da USP para registrar o comportamento de partículas em reatores de flotação.

Imagens da América do Sul

Imagens do Brasil


%d bloggers like this: