22
Mar
11

A história de uma foto: 02

Muitas vezes é possível conseguir resultados interessantes com recursos limitados de iluminação.

No meio do feriado de carnaval, com um tempo bastante encoberto aqui por São Paulo, decidimos passear pela vila ferroviária de Paranapiaca. Para quem não conhece, essa simpática vilazinha edificada no alto da Serra do Mar por operários ingleses que construiram a ferrovia São Paulo Railway, é um destino clássico dos fotógrafos paulistanos.

A São Paulo Railway ligava o porto de Santos à cidade de Jundiaí na época áurea da produção cafeeira do Brasil. E Paranapiacaba era um entroncamento estratégico da ferrovia onde grandes máquinas movidas a vapor içavam e desciam as composições pelas encostas íngremes da Serra. Todo esse conjunto de trilhos e maquinários hoje abandonados oferecem muitos cenários para a fotografia, além é claro da vila propriamente dita com suas charmosas cazinhas de madeira em estilo inglês. A eterna neblina, a garoa e o friozinho do começo da noite reforçam o clima do local.

Mas como nossa idéia era mais passear do que fotografar acabei levando o mínimo de equipamento: Apenas uma câmera e uma objetiva 24-80mm de uso geral. Mesmo assim foi possível fazer alguns registros  interessantes como a foto abaixo onde a Carol atravessava uma grande passarela que cruza sobre os trilhos da estação:

O halo por trás da cabeça foi obtido encobrindo um poste de luz do local sob a modelo. O ISO alto (1000) e a baixa velocidade ajudaram a realçar essa luz de fundo enquanto o flash embutido da câmera foi usado para iluminar a modelo. Mesmo produzindo uma luz dura e direta o flash praticamente não formou sombras indesejáveis, pois o espaço aberto ao fundo fez com que sua luz se dissipasse completamente.

A opção pelo P&B ajudou a reforçar o clima de época gerado pelo local, pela iluminação e pela antiga farda do Exército Alemão encontrada em um brechô.

A seguir os dados EXIF da imagem:

  • Câmera: Nikon D700
  • Modo: Manual 
  • Objetiva: 24-80mm f2.8 regulada em 60mm
  • Abertura: 5.6
  • Tempo de exposição: 1/15 segundos
  • Iso: 1000
  • Flash pop-up em modo TTL

6 Responses to “A história de uma foto: 02”


  1. 22/03/2011 às 15:31

    Muito legal a foto. O P&B tem uma outra coisa de legal. Esconde distorções de cor que as luzes diferentes geram.

  2. 22/03/2011 às 15:42

    Muito legal o post e mais ainda a foto! Parabéns.

  3. 3 Carol
    22/03/2011 às 16:38

    Ficou perfeita! A foto do dia!

  4. 4 Graziela
    28/03/2011 às 23:52

    Oi Fernando!
    Como sempre meus parabéns pela foto e como já sabe, eu Amo as fotos P&B, está no meu sangue (trabalhei mto com elas – principalmente em revelações). Vc disse que usou equipamento básico e que não foi mto com a intenção de fotografar!…ah!…mas lá no fundo, no fundo…um pouquinho tinha sim!Equipamento básico?!Uma Nikon D700!Então com minha Nikon D60 eu posso chegar perto? Conseguiria fazer uma foto parecida? Só q minha objetiva é de 18-55mm (nesse caso alcançaria só 55mm e não sei dessa f2.8, é a claridade da lente? aí eu não sei da minha); velocidade sim; abertura sim; Iso 1000 sim e o flash embutido…ok! Achei interessante vc jogar esse flash embutido e dar esse efeito que vc disse (eu já estava achando q não daria mto certo…mas agora é óbvio!), é uma questão de analisar com rapidez a situação e é claro: aquela luzinha só pra iluminar, sem ficar pesada, porcausa do ambiente espaçoso…adorei!
    Obrigada professor! Adorei!!!!
    Abraços,
    Grazy

  5. 06/04/2011 às 09:27

    Oi Grazy, tudo bem? Você pode sim conseguir um resultado parecido com a sua D60. Quando me referi a “equipamento básico” foi ao fato de usar apenas os recursos da própria câmera, sem a ajuda de uma iluminação mais complexa com flashes externos.

    Claro que vão existir algumas limitações: A resposta do sensor da D60 em um ISO alto será um pouco comprometida, ocorrendo mais de ruído. Você pode tentar compensar isso usando um ISO mais baixo até atingir um equilíbrio aceitável entre o ruído e a exposição.

    Uma lente clara (f2.8) sempre ajuda também, mas não há motivos para não tentar fazer uma foto assim com uma lente mais escura.

    Assim, usando um ISO mais baixo para evitar o ruído e perdendo um pouco na claridade da lente, provavelmente você terá um fundo mais subexposto, com menos detalhes nas luzes baixas. Mas isso não quer dizer que não possa produzir resultados bem interessantes!

    Aproveitando: Lembre-se que o fator de corte da D60 é de 1,5. Assim a sua lente na verdade equivale a uma 80mm quando ajustada na posição de 55mm. (55×1,5=82,5)

    Abraços!

    • 6 Graziela
      08/04/2011 às 23:26

      Fer, pôxa!- por essa eu não esperava- que lição de fotografia, hein!
      Fiquei até meio sem jeito – foi uma pergunta meio boba que fiz – e acabei tendo uma grande resposta (disse Grande Resposta e não uma resposta grande!)

      Pois é…errei ao mencionar “equipamento básico”, quis dizer de equipamento simples-como apenas sua câmera mesmo(que já é o suficiente!)e que vc entendeu!

      Qto à lente clara f2.8 acertei e algum dia,não faço idéia de quando,- afinal deve doer mto no bolso, terei que comprá-la,pois nota-se bem a diferença.Estive dando uma olhada na lente e vi algo como 1:3.5-5.6, deve ser então a claridade da lente de que vc mencionou, né? (mas esses números tb correspondem à abertura?)Vc conhece tudo…nem eu sabia disso!

      Obrigada pelas dicas do ISO, sem querer percebi isso e outra coisa que notei foi que mesmo com o ISO máximo (3.200) em ambientes com pouquissíma iluminação (como em shows)usando baixa velocidade (mas nem tanto), a foto ainda fica um meio escura (e não posso usar o flash – pois é espetáculo).

      Bem, qto ao fator de corte da D60 que é de 1,5 – me desculpe Fernando, mas ainda não sei o que é isso (que vergonha, vou mesmo precisar fazer um aperfeiçoamento, apesar dos 22 anos de fotografia-com a analógica!).Estou surpresa em saber que minha lente de 55mm equivale a uma de 80mm!! (não sabia…vc sabe tudo!!)

      Não sei como agradecer…um mero comentário e uma pergunta tola, do nada, me rendeu tanto!! Obrigada mesmo, valeu, é como diz: nunca paramos de aprender e sempre vão sugir coisas novas!

      Beijos e abraços!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Sobre o Autor:

Fotojornalista com trabalhos publicados em alguns dos principais jornais e revistas nacionais, tais como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, O Globo, Istoé, entre outros.

Atualmente dirige a Agência Fotográfica Lunapress e também é docente do SENAC lecionando fotografia na unidade Jundiaí.

Colabora com diversos bancos de imagens internacionais com destaque para a iStockphotos e a Getty Image para os quais fornece principalmente imagens sobre a América Latina.

Fotografou para diversos veículos institucionais e é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de fotografia em “hight-speed” adotada pela Faculdade de Engenharia de Minas da USP para registrar o comportamento de partículas em reatores de flotação.

Imagens da América do Sul

Imagens do Brasil


%d bloggers like this: