Posts Tagged ‘Criatividade

14
Mar
15

História da Foto: Maré ao Luar

Imagens noturnas e suas consequentes longas exposições podem gerar resultados bem interessantes.

A imagem abaixo está saindo do forno após uns dias na estação ecológica da Juréia-Itatins, no litoral sul de São Paulo, e foi feita com um tempo de exposição de um minuto e meio, utilizando uma objetiva de 50mm (ah… a boa e velha cinquentinha…), abertura de f5.6 e ISO 640

Um tripé é fundamental para longas exposições e para tempos superiores a 30 segundos é necessário um disparador com trava. Tudo que estava em movimento – no caso as nuvens e as ondas – foi borrado pela longa exposição e apenas a rocha aparece nítida na imagem. A iluminação foi cortesia de uma linda lua cheia que gerou essa luz difusa e etéria.

Pode não parecer, mas essa imagem foi feita por volta das nove da noite! Legal né?

9415

Anúncios
20
Nov
13

O gato fotógrafo

Quando meus alunos chegam ao curso de fotografia trazem um universo de questões para as quais afobadamente querem respostas. Em suas cabeças rodam fantasminhas que vão desde palavras como velocidade e abertura a termos misteriosos como sRGB e Adobe RGB. Eles se preocupam tremendamente com a escolha do equipamento, com o desempenho de sensores e coisas como quantidade de pontos de foco.

Claro que a câmera e a técnica envolvida no seu manuseio é importante para um fotógrafo, mas a verdade é que isso é apenas uma pequena parte do universo fotográfico. Imagine uma pessoa que decida fazer uma caminhada: Ela pesquisa tudo sobre o melhor calçado possível, lê tudo o que encontra no Google sobre solas e cadarços, mas esquece de pesquisar sobre seu destino. De posse da melhor bota de caminhada do mundo é bem possível que essa pessoa – com alguma frustração – simplesmente não saiba para onde ir, não extraia nem a milésima parte do que aquele calçado poderia lhe proporcionar e acaba por utilizar suas super botas para ir buscar pão na padaria da esquina.

Oras! Mais importante do que o sapato é o pé! Até porque a humanidade caminhou descalça por milênios não é mesmo? E conseguimos, bem ou mal, chegar até aqui… E agora preste muita atenção: Mais importante do que o pé é o caminho.

E onde entra a fotografia nessa história sobre pés, caminhos e caminhadas? Quando pergunto a um jovem fotógrafo não como, mas porquê fotografar isso frequentemente resulta em um nó mental. Ok: Caminho é algo que se constrói ao caminhar, mas é preciso algum norte, algum rumo É preciso ter uma história para contar, criar significâncias e dessignificâncias antes, durante e depois de sair por aí apertando o disparador da câmera. É assim que se dá alma a fotografia, a sua alma. Isso será muito mais relevante para a qualidade da sua fotografia do que o fato de usar uma câmera equipada com o recurso da última coqueluche inventada pelo mercado.

529635_424906314258997_1538997459_n

Antes de aprender a fotografar é preciso aprender a ver. Vivemos a contradição de sermos bombardeados diariamente por milhares de imagens numa sociedade de analfabetos visuais. É fácil definir a fotografia como “escrever com luz”, mas escrever o quê? Que imagens do mundo você quer contar? Como e para quem você quer contar? E o mais importante: Por que contar?

Se me perguntarem hoje qual o segredo para produzir boas imagens tenho uma receitinha infalível pronta (E é incrível como as pessoas adoram receitinhas infalíveis prontas!) Aproveite e anote pois levei quase duas décadas fotografando para descobrir isso:

1 – Arranje um gato. Pode ser qualquer gato, mas os vira-latas tendem a funcionar melhor.

2- Esqueça um pouco da sua câmera e fique apenas observando o gato por algumas semanas.

3 – Fotografe como o gato vê o mundo.

Fica a charada para quem estiver disposto a ver o mundo com outros olhos.

19
Jun
13

Entrevista com Fernando Fernandes

Entrevista realizada por André Lima com o fotógrafo Fernando Fernandes sobre fotografia fine art e processo criativo.

14
Jun
11

Contatos com a arte no mam

03
Jun
11

oficina com nair benedicto no mam

16
Maio
11

encontros na pinacoteca

22
Mar
11

A história de uma foto: 02

Muitas vezes é possível conseguir resultados interessantes com recursos limitados de iluminação.

No meio do feriado de carnaval, com um tempo bastante encoberto aqui por São Paulo, decidimos passear pela vila ferroviária de Paranapiaca. Para quem não conhece, essa simpática vilazinha edificada no alto da Serra do Mar por operários ingleses que construiram a ferrovia São Paulo Railway, é um destino clássico dos fotógrafos paulistanos.

A São Paulo Railway ligava o porto de Santos à cidade de Jundiaí na época áurea da produção cafeeira do Brasil. E Paranapiacaba era um entroncamento estratégico da ferrovia onde grandes máquinas movidas a vapor içavam e desciam as composições pelas encostas íngremes da Serra. Todo esse conjunto de trilhos e maquinários hoje abandonados oferecem muitos cenários para a fotografia, além é claro da vila propriamente dita com suas charmosas cazinhas de madeira em estilo inglês. A eterna neblina, a garoa e o friozinho do começo da noite reforçam o clima do local.

Mas como nossa idéia era mais passear do que fotografar acabei levando o mínimo de equipamento: Apenas uma câmera e uma objetiva 24-80mm de uso geral. Mesmo assim foi possível fazer alguns registros  interessantes como a foto abaixo onde a Carol atravessava uma grande passarela que cruza sobre os trilhos da estação:

O halo por trás da cabeça foi obtido encobrindo um poste de luz do local sob a modelo. O ISO alto (1000) e a baixa velocidade ajudaram a realçar essa luz de fundo enquanto o flash embutido da câmera foi usado para iluminar a modelo. Mesmo produzindo uma luz dura e direta o flash praticamente não formou sombras indesejáveis, pois o espaço aberto ao fundo fez com que sua luz se dissipasse completamente.

A opção pelo P&B ajudou a reforçar o clima de época gerado pelo local, pela iluminação e pela antiga farda do Exército Alemão encontrada em um brechô.

A seguir os dados EXIF da imagem:

  • Câmera: Nikon D700
  • Modo: Manual 
  • Objetiva: 24-80mm f2.8 regulada em 60mm
  • Abertura: 5.6
  • Tempo de exposição: 1/15 segundos
  • Iso: 1000
  • Flash pop-up em modo TTL



Sobre o Autor:

Fotojornalista com trabalhos publicados em alguns dos principais jornais e revistas nacionais, tais como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, O Globo, Istoé, entre outros.

Atualmente dirige a Agência Fotográfica Lunapress e também é docente do SENAC lecionando fotografia na unidade Jundiaí.

Colabora com diversos bancos de imagens internacionais com destaque para a iStockphotos e a Getty Image para os quais fornece principalmente imagens sobre a América Latina.

Fotografou para diversos veículos institucionais e é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de fotografia em “hight-speed” adotada pela Faculdade de Engenharia de Minas da USP para registrar o comportamento de partículas em reatores de flotação.

Imagens da América do Sul

Imagens do Brasil