Posts Tagged ‘Macrofotografia

07
Abr
10

isolando objetos em macrofotografia

Fotografias macro quase sempre apresentam dois grandes problemas: O foco crítico e interferências do fundo na composição. Vamos analisar duas soluções distintas (ou mesmo opostas) para lidar com essas dificuldades:

1. Eliminando o fundo:

Uma maneira fácil de destacar o assunto do fundo é através da subexposição. No exemplo do cogumelo a imagem foi feita utilizando uma objetiva de 105mm regulada para f51 de abertura e velocidade de 1/800s com o auxílio de um flash circular.

Com valores assim tão baixos o flash iluminou o cogumelo, mas a luz do ambiente não foi suficiente para ser registrada e o fundo ficou completamente preto destacando o primeiro plano. Esse efeito pode ser conseguido mesmo sob a luz do dia e apresenta outra vantagem: a pequena abertura proporciona um foco nítido em todo o primeiro plano.

Se você não possui um flash circular pode utilizar um flash comum ligado à câmera por um cabo remoto de disparo. Lembre-se de que acessórios como os tubos de extensão e foles diminuem a luminosidade das objetivas e podem colaborar para que o efeito de subexposição do fundo seja mais efetivo.

2.   Desfocando o fundo:

No caso da cigarra a solução encontrada é oposta a anterior. Foi utilizada uma lente de 50mm com anel reversor e uma grande abertura para selecionar o foco apenas no olho do inseto pra valorizar o seu peso na composição. Dessa forma o fundo completamente desfocado gerou um borrão, mas cuja forma e luminosidade contribuem para dar vida à imagem. Assim uma desvantagem – o foco crítico da lente de 50mm com uma grande abertura – foi transformada em vantagem.

09
Nov
09

Workshop de logística em Expedições Fotográficas

O workshop sobre Expedições Fotográficas é realizado na Agência LUNAPRESS e aborda os principais tópicos referentes a logística de uma expedição:

Deserto de Atacama - Chile

Itens e equipamentos referentes a segurança, alimentação, abrigo e comunicação são demonstrados na prática em um acampamento simulado montado no estúdio, além de acessórios específicos para fotografia de natureza.

– Radiocomunicação: Diferenças entre VHF, UHF, HF e suas aplicações. Uso correto do rádio em emergências.

– Alimentação: A tecnologia de liofilização

– Vestuário: Calçados e roupas específicas para atividades outdoor

– Orientação: Noções sobre o uso de bússulas e cartas topográficas. Diferenças entre GPS e navegadores

– Segurança: Sinalizadores, sinais e montagem de um estojo de emergências.

– Fotografia: Montagem de armadilhas fotográficas, acessórios para macrofotografia, proteção do equipamento.

O valor é de R$ 160,00 com direito a degustação de alimentos especiais produzidos pela Liofoods. A próxima turma está agendada para o sábado dia 28 das 14 as 18 horas.

14
Set
09

Sobre importâncias:

Um fotógrafo-artista me disse uma vez: veja que o pingo de sol no couro de um lagarto é para nós mais importante do que o sol inteiro no corpo do mar.

Falou mais: que a importância de uma coisa não se mede com fita métrica nem com balança nem com barômetro etc. Que a importância de uma coisa há que ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós.

Assim um passarinho nas mãos de uma criança é mais importante para ela do que a Cordilheira dos Andes. Que um osso é mais importante para o cachorro do que uma pedra de diamante. E um dente de macaco da era terciária é mais importante para os arqueólogos do que a Torre Eifel. (veja que só um dente de macaco!) Que uma boneca de trapos que abre e fecha os olhinhos azuis nas mãos de uma criança é mais importante para ela do que o Empire State Building. Que o cu de uma formiga é mais importante para o poeta do que uma Usina Nuclear. Sem precisar medir o ânus da formiga. Que o canto das águas e das rãs nas pedras é mais importante para os músicos do que os ruídos dos motores da Formula 1.

Há um desagero em mim de aceitar essas medidas. Porém não sei se isso é um defeito do olho ou da razão. Se é defeito da alma ou do corpo. Se fizerem algum exame mental em mim por tais julgamentos, vão encontrar que eu gosto mais de conversar sobre restos de comida com as moscas do que com homens doutos.

(Manoel de Barros)

 Cigarra




Sobre o Autor:

Fotojornalista com trabalhos publicados em alguns dos principais jornais e revistas nacionais, tais como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, O Globo, Istoé, entre outros.

Atualmente dirige a Agência Fotográfica Lunapress e também é docente do SENAC lecionando fotografia na unidade Jundiaí.

Colabora com diversos bancos de imagens internacionais com destaque para a iStockphotos e a Getty Image para os quais fornece principalmente imagens sobre a América Latina.

Fotografou para diversos veículos institucionais e é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de fotografia em “hight-speed” adotada pela Faculdade de Engenharia de Minas da USP para registrar o comportamento de partículas em reatores de flotação.

Imagens da América do Sul

Imagens do Brasil