Posts Tagged ‘Portfolio

06
Nov
14

Leitura de Portfólios na lunapress!

Leitura de Portifólios

01
Jul
13

Leitura de Portfolios – Julho de 2013

Estão abertas as inscrições para a turma de Julho da Leitura de Portfolios na LUNAPRESS. Não perca essa oportunidade de ter seu material avaliado além de receber ótimas dicas de como atrair clientes com um bom portfolio!

 

Leitura sem data

21
Mar
13

Leitura de Portfolios

Estão abertas as inscrições para a próxima turma de Leitura de Portfolios que acontecerá na LUNAPRESS no dia 06/04/13.

O objetivo das nossas leituras é avaliar os trabalhos dos participantes não apenas no aspecto técnico, mas principalmente no comercial, orientando o fotógrafo a construir e gerenciar um portfolio que vá de encontro as expectativas do mercado.

Imagem

26
Abr
10

Leitura de Portfolios – Turma de maio

A Leitura de Portfolios é uma mesa redonda onde o fotógrafo terá a oportunidade de mostrar e ter seus trabalhos comentados e avaliados tanto no aspecto técnico, quanto na linguagem e apresentação.

 

A leitura tem por objetivo ajudar o fotografo a preparar o seu trabalho para ser apresentando a futuros clientes ou contratadores, bem como desenvolver ferramentas de edição que podem ser usadas para a montagem de exposições, apresentações ou trabalhos comerciais.

O participante também terá a oportunidade de conhecer as instalaçoes e o funcionamento do Banco de Imagens da Lunapress

Com duração de 04 horas a oficina acontece no estúdio da Lunapress na Vila Mariana em São Paulo localizado a Rua Ari Cajado, 190 no dia 15 de maio, sábado, a partir das 18 horas.

A leitura é coordenada pelo fotógrafo documentarista Fernando Fernandes diretor da Agência Lunapress e colaborador das Agências Estado e iStockphotos.

Valor do investimento: R$ 180,00

Nossos cursos e workshops também podem ser levados para a sua cidade ou região. Entre em contato conosco para mais detalhes.

Informações e reservas: contato@lunapress.com.br ou (11) 4063-1628

04
Fev
10

Leitura de Portfolios: Turma de Fevereiro

Dando prosseguimento aos encontros fotográficos na LUNAPRESS estamos com inscrições abertas para a terceira turma de Leitura de Portfolios.

O participante terá seu material (impresso ou digital) avaliado em relação a técnica, edição e conteúdo e serão abordadas as diversas formas de se apresentar um trabalho fotográfico. O objetivo é transformar o portfolio em uma ferramenta de vendas que vá de encontro as expectativas de potencias clientes ou empregadores.

O encontro acontece na LUNAPRESS no dia 27 de fevereiro das 15 às 19 horas e o investimento é de R$ 160,00.

Informações e reservas pelos telefones (11) 6194 0094 ou (11) 4063 1628

08
Out
09

Leitura de Portfólios

Traga seu portfólio para ser avaliado e comentado pelos editores da agência LUNAPRESS.

Próxima turma no sábado dia 24 de outubro. Valor R$ 120,00
Informações: (11) 2915 7026 ou (11) 4063 1628
10
Set
09

Montando um Portfolio

 

Independente da área de atuação montar um bom portfolio deve ser uma das primeiras preocupações do fotógrafo. Ele terá duas funções básicas: Mostrar aos seus clientes a qualidade do seu trabalho e também irá ajudar ao próprio fotógrafo a quantificar a evolução das sua imagens ao longo dos anos.

É incrível como um trabalho que consideramos exelente num dado momento passa a ser visto de forma bem mais crítica conforme nos aprimoramos com o tempo. Por isso o portfolio deve sempre ser renovado e atualizado.

Portfolio impresso ou digital?

Ter um site ou mesmo um Flickr ajuda a mostrar suas imagens a um grande número de pessoas. Mas quando a idéia é mostrar para quem realmente interessa, o cliente, aí o bom e velho portfolio impresso é fundamental.

O que o portfolio deve conter?

 Um portfolio não é apenas um conjunto de boas imagens. Elas devem conter algum tipo de amarração umas com as outras e um tema específico. Portfolio de natureza é uma coisa, de estúdio é outra completamente diferente. Se você faz mais de um tipo de trabalho considere a idéia de ter mais de um portfolio. O fato do seu portfolio ter começo-meio-e-fim irá mostrar a sua capacidade de edição de imagens.

Quantas imagens o portfolio deve conter?

Muitas imagens tornam a leitura cansativa. Poucas tornam a apresentação pobre. Entre 12 e 20 imagens dá para passar o seu recado sem grandes problemas. É legal pensar num sistema em que imagens possam ser adicionadas ou excluidas em função da necessidade da apresentação.

Qual o melhor acabamento?

O portfolio pode ser pequeno ou grande, com folhas soltas ou presas… O importante é que tenha um acabamento impecável, nas ampliações e no suporte, que mostre a sua preocupação e cuidado com aquilo que você produz. O uso de materiais originais e criativos também ajudam a contar pontos.

Fotolivro é uma opção moderna que realmente dá um acabamento bom e permite uma composição mais livre que um álbum comum. Você pode conseguir o programinha para compor os livros em gráficas que produzem esse tipo de material como a Digipix em São Paulo.
Uma dica de acabamento que acho interessante e que pode ser aplicada  nas ampliações fotográficas é a laminação fosca: Uma fina película de material plástico é estendida sobre o papel e adere ao mesmo por aplicação de calor.

Além de proteger o papel a laminação evita reflexos na superfície do material tornando a leitura mais agradável. Sujou? É só passar um paninho úmido que resolve!

Além das fotos o que mais o portfolio deve conter?

Um CD – com as fotos e link para o seu site – a ser deixado com o cliente são complementos interessantes. Também é  importante ter uma página no início do portifólio fazendo uma breve apresentação sua e de seu trabalho. Isso é especialmente útil se você deixar o portifolio em um processo de seleção em alguma agência ou redação.

O que exatamente significam os termos “tema” e “linguagem” de um portfolio?
 
Tema pode ser traduzido por “assunto”. Por exemplo: Posso ter como tema as ruas de São Paulo, os índios Guaranis ou uma festa de casamento.

Já a linguagem é a forma como esse tema é captado. Por exemplo: Imagens captadas com uma visão de fotojornalismo, documental, abstrata, publicitária, científica, etc.

Portanto você pode ter um portifólio que explore diversos temas dentro de uma linguagem padronizada.

O grande segredo é tentar se colocar no lugar da pessoa para quem o portifólio vai ser apresentado. O que essa pessoa quer ver? Se você procura uma vaga como assistente em um estúdio fotográfico, o seu “alvo” obviamente serão fotógrafos publicitários. É muito mais eficiente apresentar para esses fotógrafos imagens voltadas para a área deles do que para fotojornalismo, por exemplo. Afinal é a sua capacidade de produzir (e entender) imagens com uma linguagem publicitária que vai estar sendo avaliada.

Quando avalio o portifólio de um candidato aqui na Agência o que menos me chama a atenção é a qualidade técnica das imagens. Até porque com os recursos disponíveis hoje em dia (tanto de captação como de edição de imagens) produzir uma imagem de qualidade não é nenhum bicho de sete cabeças. Produzir uma fotografia com qualidade não é diferencial, é obrigação do fotógrafo.

Então aonde mora o diferencial? O que me leva a optar por um portifolio e não por outro? Capricho criatividade, cuidado na apresentação, síntese, edição… Esses detalhes ocultos nas entrelinhas do conjunto do trabalho é que vão determinar quem fica com a vaga.

Como editar as imagens?
Existem infinitas maneiras de criar um conjunto de imagens. O último portfolio que montei, por exemplo, foi feito com imagens capturadas ao longo de uns oito anos em diversos locais e situações, mas que quando reunidas passaram a contar uma historinha sobre a formação e a busca da identidade brasileira.

O ato de reunir um conjunto de imagens chama-se edição. E é uma dessas coisas na vida sobre a qual é mais fácil falar do que fazer! Mas existem algumas questões básicas que, quando resolvidas (mesmo que parcialmente), podem te ajudar bastante no processo:

– Definir uma mensagem: O que você tem a dizer através da sua fotografia? Você pode definir primeiro qual a sua mensagem e então sair em busca das imagens ou olhar para o material que você já tem e buscar enxergar um contexto dentro dele. Os dois caminhos são exercícios de autoconhecimento maravilhosos. Aproveite intensamente!

– Desapego: A única coisa certa no processo de edição é que editar dói! Ao editar devemos pensar no peso que o conjunto de imagens carrega e não no peso individual de cada fotografia. Aquela foto que você acha maravilhosa pode matar um conjunto. Por outro lado uma foto que sozinha não é lá grande coisa, pode ser o ponto de amarração que estava faltando na sua mensagem. Prepare-se! Coisas boas vão ter que cair fora! E isso fatalmente vai doer, mas é o preço a pagar por uma mensagem enxuta com começo, meio e fim.

– O alvo: Também é importante pensar sempre em quem vai ver essas imagens. Qual é o SEU alvo? É um trabalho pessoal onde você busca a sua forma de expressão? É um trabalho de apresentação comercial? Se você pretende conseguir uma vaga como assistente num estúdio publicitário, apresentar fotos de fotojornalismo não vai ajudar muito. E vice-versa. Fazer um teatrinho e se colocar no lugar do espectador e suas devidas expectativas ajuda barbaridade!
Como criar uma narrativa dentro da edição?
Ter “começo, meio e fim” significa que o conjunto das imagens deve ter uma amarração. Ou seja: Elas não devem ser pensadas isoladamente, mas em conjunto.

Assim uma foto muito boa isoladamente pode perder a vez para uma menos impactante, mas que casa melhor com o conjunto apresentado. Uma boa maneira de observar isso é lendo (bons) livros fotográficos e tentar entender a narrativa proposta pelo editor.

O pior lugar do mundo para editar o seu trabalho é no computador, pois nele é difícil observar as imagens em conjunto.

Tente o seguinte exercício:

Faça algumas cópias 10×15 das imagens que você considera interessantes e coloque com imãs na porta da sua geladeira. Ao longo de alguns dias (pelo menos uma semana) vá reorganizando essas imagens em uma seqüência. Tire e coloque outras novas conforme achar necessário.

Depois de algum tempo numere a seqüência no verso das fotos e marque um encontro com alguns amigos num bar. Leve as fotos e peça para que eles comentem a seqüência (e não as fotos!). As respostas podem ser muito interessantes, se vocês fizerem isso antes de beberem demais.




Sobre o Autor:

Fotojornalista com trabalhos publicados em alguns dos principais jornais e revistas nacionais, tais como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, O Globo, Istoé, entre outros.

Atualmente dirige a Agência Fotográfica Lunapress e também é docente do SENAC lecionando fotografia na unidade Jundiaí.

Colabora com diversos bancos de imagens internacionais com destaque para a iStockphotos e a Getty Image para os quais fornece principalmente imagens sobre a América Latina.

Fotografou para diversos veículos institucionais e é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de fotografia em “hight-speed” adotada pela Faculdade de Engenharia de Minas da USP para registrar o comportamento de partículas em reatores de flotação.

Imagens da América do Sul

Imagens do Brasil